Dados do Trabalho


Título

Os principais cuidados em relação ao uso e abuso de inibidores de fosfodiesterase tipo 5 por homens idosos: revisão de literatura atualizada.

Introdução e/ou Fundamentos

A disfunção erétil têm um impacto significativo no bem-estar geral dos idosos. Os inibidores da fosfodiesterase 5 (IPED5) são a abordagem farmacológica inicial na grande maioria dos casos. Mas, há uma suspeita crescente de que a prescrição dos IPDE5 pela Internet seja um importante problema de saúde pública, visto que as lacunas de conhecimento relacionadas ao uso adequado e aos efeitos colaterais são a maior causa dos efeitos adversos notificados na prática clínica nos idosos. Nesse contexto, torna-se necessário saber os efeitos relacionados com o uso e abuso desse medicamento.

 

Métodos

Revisão de natureza descritiva, através da busca  nas bases de dados PUBMED, BVS e Google Acadêmico utilizando os descritores em inglês e  português “eldery”, “phosphodiesterase type 5 inhibitors”. Depois de passar pelos critérios de inclusão e exclusão, o estudo resultou em uma amostra total de 12 artigos.

Resultados

Os efeitos adversos mais comuns são cefaleia, dispepsia e congestão nasal.O sildenafil e vardenafil também estão associadas alterações na visão, enquanto que o tadalafil pode estar ligado a episódios de lombalgia e mialgia. Os riscos cardíacos, são principalmente por potencializar o efeito hipotensor quando associado a medicamentos anti-hipertensivos que contenham nitrato. São contraindicações ao seu uso: doentes com angina de peito instável, enfarte do miocárdio recente e hipertensão não controlada. Idosos com prolongamento do intervalo QT não devem ser tratados com vardenafil. Não há evidência de eles aumentem o risco de infarto agudo do miocárdio (IAM), embora evidências suficientes sugiram que há um pequeno aumento no risco relatado à atividade sexual em idosos (tais fármacos aumentariam o risco de evento por sua ação indireta, já que, ao proporcionarem a ereção, expõem o homem à atividade sexual). Por fim, destaca-se a capacidade dos inibidores em causar vício favorecendo o abuso, e mais efeitos adversos, em especial os cardiovasculares.

Discussão

Assim, a alta prevalência de uso não indicado, abusivo ou recreacional dos medicamentos IPDE5, sob nenhuma ótica podem ser consideradas substâncias inócuas, especialmente em idosos.A avaliação médica geral completa deve ser obrigatória, além de ser um indicador útil para modificar fatores de estilo de vida e reduzir o risco de outras condições de risco de vida.

Conclusões

Destaca-se a importância da educação em saúde na prática médica, ao alertar sobre uso irracional de IPDE5 nos idosos, e acolher as queixas mais impactantes da funcionalidade do idoso.

Palavras Chave

Disfunção erétil; idosos; risco cardiovascular; abuso.

Área

Tema Livre

Instituições

Universidade Cidade de São Paulo - São Paulo - Brasil

Autores

JULIA ARCANJO FERREIRA, JOSÉ WYLENILSON ALVES SEELIG DE SOUZA , GIOVANNA DOS SANTOS SATIL, HELOISE HELENA GOBATO, OLIMPIO GIACOMELLI NETO, MARCELLA MOTA BRAGA CAMPOS, RAISSA CAMPAGNOLI MACHADO CHIGA , ANA CARLA DIAS BOTELHO GOMES