Dados do Trabalho


Título

Avaliação da associação de hipertensão arterial sistêmica e outros fatores com baixa funcionalidade para a realização de atividades básicas da vida diária em idosos institucionalizados.

Introdução e/ou Fundamentos

O aumento da expectativa de vida relaciona-se a maior prevalência de doenças crônicas não transmissíveis como a hipertensão arterial sistêmica gerando alterações estruturais, metabólicas e funcionais mediante risco a lesões de órgãos-alvo. Associa-se a esta, fatores sociais, visto doenças crônicas expressarem-se mais em idosos com baixa renda e escolaridade.Por sua magnitude e impacto sobre serviços de saúde, são necessários meios para prevenir a dependência funcional e controlar agravos. O objetivo do estudo foi avaliar a associação de hipertensão arterial e fatores sociais com presença de baixa funcionalidade para fazer atividades básicas da vida diária.

Métodos

Estudo retrospectivo, coletados dados de prontuários de pacientes institucionalizados em um hospital geriátrico de janeiro a dezembro de 2022, apurados dados demográficos e as variáveis hipertensão arterial, cônjuge, escolaridade, retaguarda familiar, benefício (renda) e funcionalidade (desfecho) avaliada pelo Índice de Barthel. Expressas variáveis em percentual. Na análise estatística, utilizados o teste do Qui-Quadrado e o teste Exato de Fisher.

Resultados

Avaliados 102 pacientes, maioria homens(66,6%),mediana de idade 72 anos, das atividades básicas apresentaram menor independência para tomar banho(5,8%) e subir/descer degraus(8,8%), hipertensos(71,5%), maioria sem cônjuge(66,6%), baixa escolaridade(79,4%),sem renda (64,7%) e sem retaguarda familiar(61,7%), ocorreu associação entre hipertensão arterial (p=0,0040), ausência de cônjuge (p=0,0063) e baixa escolaridade (p=0,0138) com a presença de baixa funcionalidade para fazer as atividades básicas da vida diária.

Discussão

A Hipertensão principalmente se não controlada aumenta o risco de invalidez.Diferente de outros estudos, maioria pacientes são homens, não observada associação entre ausência de retaguarda familiar (p=0,9597) e ausência de benefício (p=0,4147) com baixa funcionalidade. Fator cultural, fragilidade familiar, conflitos, podem ter contribuído.

 

Conclusões

Verificada associação estatística entre hipertensão arterial, ausência de cônjuge e baixa escolaridade com baixa funcionalidade em realizar atividades básicas, fatores orgânicos e sociais relacionam-se no quesito saúde, sendo precisas novas políticas públicas de prevenção, promoção a saúde e manutenção de tratamento de agravos, como também, que vigorem as atuais vigentes, visando à melhora no uso de recursos públicos, logística de leitos e sobrecarga dos serviços, aspirando manter vitalidade e qualidade de vida a esta população.

 

 

Palavras Chave

Área

Tema Livre

Instituições

Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo - São Paulo - Brasil

Autores

LEANDRO GALLINUCCI CAIRO, FRANCISCO SOUZA DO CARMO