Dados do Trabalho


Título

PERFIL CLÍNICO E EPIDEMIOLÓGICO DE PACIENTES IDOSOS COM INSUFICIÊNCIA CARDÍACA INTERNADOS EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA DE HOSPITAL TERCIÁRIO DE REFERÊNCIA DO NORDESTE

Introdução e/ou Fundamentos

A insuficiência cardíaca (IC) tem alta prevalência na população idosa, sendo o principal problema de saúde pública, responsável pela maioria das hospitalizações por doenças cardiovasculares, no Brasil. Além disso, apresenta significativas taxas de morbimortalidade. 

OBJETIVOS: Traçar o perfil clínico e epidemiológico dos pacientes idosos internados em unidade intensiva diagnosticados com IC. 

Métodos

Estudo retrospectivo, descritivo e observacional transversal realizado com pacientes idosos ≥ 60 anos diagnosticados com IC. Foi realizada busca ativa de prontuários, seguida de análise estatística para os dados qualitativos (idade, sexo, comorbidades) dos pacientes hospitalizados de abril a dezembro de 2022 no Hospital Eduardo Campos da Pessoa Idosa (HECPI).

Resultados

O total da amostra foi de 87 pacientes internados na UTI, sendo 38% destes diagnosticados previamente com IC. A média de idade destes foi de 76 anos com desvio padrão de ± 9,6, sendo 51,7% homens. Dentre os pacientes com IC, 21,2% descompensaram pelo mal controle da doença e 79,8% por etiologias infecciosas que causaram a descompensação clínica: sendo a insuficiência do trato respiratório, encontrada em 54,5% dos casos, seguida de infecção do trato urinário em 33,3%. Quanto às comorbidades, 78,8% apresentavam hipertensão arterial sistêmica e 42,4% diabetes mellitus. Além disso, somente 18,2% destes não apresentavam comorbidades associadas. Em 33,3% foi necessário a administradas de drogas vasoativas (DVA), tendo sido, em contrapartida, somente necessário em 14,8% dos idosos sem IC. Dos pacientes com IC, 63,3% necessitaram de assistência ventilatória mecânica (AVM), tendo sido em 27,3% invasiva e em 36,3% não invasiva, enquanto foi necessária em apenas 29,6% dos sem IC. 21,2% desses idosos foram diagnosticados com demência e 9% atestaram acidente vascular cerebral prévio, sendo desses, 14,3% dos pacientes com demência. A média de tempo de internamento foi de 9 dias, variando de 1 a 40 dias, durante o qual, 33,4% desses idosos preencheram protocolo de indicação aos cuidados paliativos (CPs). Quanto ao desfecho, 60,6% receberam alta, 27,3% foram transferidos internamente e apenas 12,1% evoluíram para óbito.

Discussão

.

Conclusões

De acordo com a amostra analisada, a maioria dos pacientes idosos com IC apresentaram múltiplas comorbidades que possivelmente influenciam no maior risco de descompensação clínica e tempo de internamento prolongado, além da maior necessidade de suporte ventilatório.

Palavras Chave

Insuficiência Cardíaca; Perfil Epidemiológico; Idosos

Área

Tema Livre

Instituições

Faculdade Pernambucana de Saúde (FPS) - Pernambuco - Brasil, Hospital Eduardo Campos da Pessoa Idosa (HECPI) - Pernambuco - Brasil, Universidade de Pernambuco (UPE) - Pernambuco - Brasil

Autores

ELLEN BEATRIZ SOBRAL, MARIA EDUARDA BORGES MATIAS, MARIA EDUARDA RODRIGUES FERREIRA, ARTHUR LIRA DE MELO, ACHELLES MONISE BATISTA DA SILVA , KÁTIA MILENA OLIVEIRA DE SANTANA RIBEIRO, JESSICA MYRIAN DE AMORIM GARCIA, WAGNER GOMES REIS